PERNAMBUCO Porto de Galinhas

Porto de Galinhas de Ponta a Ponta

Já contei um pouquinho da minha passagem por Recife aqui, e como o povo é bem receptivo por lá e eu sou daquelas que pega sotaque rápido, com 4 dias pelos ares Pernambucanos já estava quase falando: ôxi, arretada, venha cá…

Aí que deu a louca e segui viagem pra Porto de Galinhas, mas eu só tinha 48 horas pra conhecer tudo por lá, voltar pra Recife e pegar o voo de volta pro Rio.

No primeiro dia não saiu como o esperado, apesar de calor, o tempo estava instável e chovia toda hora. Não consegui fazer o super indicado passeio pra Carneiros, mas aproveitei pra conhecer a Vila e passar o dia nas praias de Porto de Galinhas e Maracaípe, bem pertinho de onde eu estava hospedada.

Deixa eu explicar: é que apesar de todo mundo falar que vai a Porto de Galinhas, a cidade mesmo é Ipojuca e tem outras praias por lá, só a do centro (onde ficam as piscinas naturais) é que tem esse nome.

A Vila é bem pequena e em duas ruas estão concentrados quase todos os restaurantes e lojinhas de artesanato. Tudo lá gira em torno de galinha e em todas as esquinas tem uma grandona dessa aí que copiou minha roupa (rs).

Arrumei uma amiga e fechamos um passeio para o dia seguinte: Ponta a Ponta de Bugue. Após uma longa jogada de charme desenrolada, conseguimos um preço justo para que o nosso bugueiro passasse o dia todo conosco.  É o ideal pra quem tem pouco tempo, pois realmente tem como conhecer a cidade TODA nesse passeio.

Seis horas da matina e lá fomos nós. Cabelos ao vento, primeira parada: piscinais naturais, já que maré baixa nesse dia só antes das 7h. O acesso é feito de jandada e são 45 minutos de encontro com os peixinhos. É bem interessante a sensação de ficar em pé lá no meio do mar.

O passeio segue pelas areias da Praia do Cupe, que só é legal pros surfistas, já que o mar é aberto e bravo pra caramba. Curiosamente, é a praia com maior número de pousadas e casas de veraneio.

Próxima parada: Muro Alto, pra mim, a praia mais encantadora da região. Que coisa linda! Água quentinha, sem vento, stand up, caiaque e serviço de bar ganharam meu coração e me fizeram passar um tempo maior por lá.

Seria perfeito se não tivesse uns repentistas chaaaatos que surgem de 15 em 15 minutos pra tirar o sossego. Faz parte da cultura deles, mas eles abusam um pouco disso. 

Nessa praia tem uns resorts maravilhosos!!

Cruzamos a cidade de volta e passamos pela orla de Maracaípe, onde há uma parada pra almoço. O carro-chefe é frutos do mar, quem não gosta está lascado.

Este coqueiral é muito lindo!

No finalzinho da praia e já ao entardecer chega ao último ponto, o Pontal de Maracaípe. Lindo demais o encontro do mar com o rio e recomendo fazer o passeio de jangada pelo mangue.

Enquanto o jangadeiro fala sobre as belezas do local, ele captura um cavalo-marinho e traz pra você conhecer, logo em seguida devolvendo-o à água. Eu nunca tinha visto um, então fiquei toda serelepe!

Não podemos tocar neles porque são sensíveis. É uma pena que estejam ameaçados de extinção, pois são muito singulares.

O silêncio no Pontal é tão inspirador que só me restou agradecer por um dia tão incrível, e pude voltar pra Recife com a sensação de dever cumprido: conheci Porto de Galinhas de ponta a ponta!

COMO CHEGAR:

São apenas 60 km de Recife.

Conforto: Carro alugado ou Táxi. O táxi custa uns R$ 150,00 (por carro) e vale a pena para grupos. A maioria das pousadas costuma oferecer serviço de transfer também, a um preço médio de R$ 120,00. Consulte a sua.

Econômico: Ônibus ou Van. Ambos passam na frente do aeroporto e custa R$ 11,00 o Busão e R$ 20,00 a van, mas tem o inconveniente de te deixar na entrada da Vila, onde tem que pegar outro táxi por R$15,00.

DICAS:
  1. Tenha em mente qual sua perspectiva de viagem, pois a opção de hospedagem vai influenciar totalmente. Quem optar pelos megaresorts provavelmente vai acabar restrito à sua estrutura, que é bem distante. Quem optar pelas pousadas além de economizar uma grana, ficará próximo à Vila e desfrutará de lojinhas e restaurantes. A dinâmica é diferente, mas a escolha é sua, de acordo com seu orçamento e interesse.
  2. Para a ida às piscinas: verifique a tábua de marés, quanto menor, melhor. De nada adianta estar no lugar certo na hora errada.
  3. É possível encontrar a água muito mais clara do que estão nas minhas fotos (peguei umas chuvas e ainda assim gostei muito).
  4. Negocie preços. Há muita oferta de serviço, se não conseguir desconto no primeiro, não desista, outro fará.
  5. A ordem das praias não precisa ser esta, mas o horário mais gostoso para o Pontal é ao entardecer.
  6. Se tiver com tempo, faça o passeio de Carneiros, é lindo! Vejam!.
  7. Se tiver com muuuuito tempo, não vai ter mais nada pra fazer, só voltar nas praias que mais gostou.
  8. Cuidado com a comida, o tempero é forte na região.
  9. Quer entender o nome de Porto de Galinhas? Tem a história aqui.

Gostou? Anima e vai pra lá!


Quando for reservar seu Hotel, não deixe de fazer aqui pelo Blog, ganhamos uma pequena comissão e você não paga nadinha a mais por isso. Ajuda aí, vai!

Clique aqui para encontrar seu hotel com o Booking

 

You Might Also Like

No Comments

Vamos trocar uma ideia? Comente!