PRA PENSAR

Largar tudo e viajar por aí não é para todo mundo

Tenho visto frequentemente textos com o lema “largue tudo e viaje por aí”. Muita gente cool contando sua incrível experiência de vida ao abandonar empregos e seguir jornada pelo mundo, incentivando as pessoas a fazerem o mesmo.

Já tive uma crise com isso e bordões do tipo “viver de verdade”, “experiência de vida” e “dar significado” assolaram minha cabeça por meses durante os meus vinte e poucos anos. Estaria eu indo pelo caminho errado? Perdendo tempo com a minha vida medíocre?

Para quem não sabe, apesar de eu ter um blog de viagens, tenho uma vida totalmente convencional. Fiz faculdade de Direito, trabalhei durante o curso, estudo muito até hoje e tenho um emprego mega careta no Ministério Público onde uso roupa social. Viajo nos finais de semana e nas férias, só!

Calma aí. Só nada! Já é bem legal!

Sejamos realistas! Esse negócio de largar tudo e viajar por aí não é para todo mundo

Claro que o conceito de realização é abstrato e tem um montão de gente feliz aí na estrada. Acontece que a maioria esmagadora das pessoas não tem como fazer isso e eu estou bem no meio desse grupo, já que a minha carreira não é tecnológica, depende da minha presença. No mais, percebi que amo viajar, mas tenho um prazer enorme em voltar para casa, reencontrar meus amigos, dar um beijão na minha mãe e dormir na minha cama. Tipo prazo de validade, sabe? Quando estou viajando perco noção de dinheiro e tempo, chega uma hora que eu preciso voltar para o meu norte. Acho que ia pirar! Sim, porque além de planejamento financeiro, é preciso ser muito forte emocionalmente para viver assim.

O que eu quero dizer com isso é que viver uma aventura dessas é maravilhoso, só que não tem nada de errado em ter um emprego convencional, querer casar, ter filhos, um gato, financiar um apartamento e juntar dinheiro para viajar nas férias, desde que você se sinta feliz com isso. É totalmente possível ter uma vida incrível assim também, basta que você traga a mesma energia para a sua rotina.

Me incomoda essa ideia de que para ser feliz você precise ser um espírito livre que não se vincula a nada nem ninguém. É preciso muita coragem também para abrir mão de se aventurar por aí em prol de uma carreira ou família. E mais, em algum momento você vai se apegar a algo. Um amor, uma cidade ou até algum emprego, seja aqui ou do outro lado do mundo, não tem jeito.

Claro que, tendo a oportunidade de morar fora um tempo, fazer um curso ou até mesmo uma viagem mais longa, tem que agarrar com unhas e dentes. Quem não quer? Mas não rolando, vamos continuar sendo turistas de férias e ai de quem disser que minhas experiências não são inesquecíveis.

Tem uma frase de autor desconhecido que resume bem tudo isso:

Podemos viajar por todo o mundo em busca do que é belo, mas se já não o trouxemos conosco, nunca o encontraremos.

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply
    Ronald Veloso
    agosto 13, 2015 at 9:12 pm

    Que post lindoooo! É bem isso mesmo Sthe.

  • Reply
    Talita
    agosto 14, 2015 at 11:20 am

    Perfeito! É exatamente isso, a ideia de largar tudo e viajar por ai realmente não é pra todo mundo e ainda bem que não é! Graças a Deus existe ai uns 90% da humanidade, ou mais, que é feliz criando e cultivando raízes e isso é tão lindo e tão corajoso quanto cair no mundo sem data pra voltar. Admito que sou da turma do espírito livre e estar na estrada é o que me faz feliz, mas viajar nos transforma e nos faz aprender a respeitar cada forma de ser, o que importa no final é estar feliz.

    • Reply
      Sthefania Memelli
      agosto 19, 2015 at 9:31 pm

      Exatamente Talita! Você pegou o espírito do post!
      Obrigada pela visita! Fico muito feliz com os comentários!
      Beijos

  • Reply
    Maria Clara
    agosto 14, 2015 at 12:52 pm

    Amei a reflexão! Passou a ser o um dos meus posts favoritos!

  • Leave a Reply