ÁFRICA ÁFRICA DO SUL CAPE TOWN GARDEN ROUTE

Garden Route: roteiro infalível pela costa da África do Sul

garden route

Que eu sou apaixonada pela África do Sul quem acompanha o blog já sabe, não é? É um destino encantador, que nos surpreende a cada cidade local que visitamos. Um país com praias maravilhosas, vida selvagem em harmonia com a civilização, povo alegre e receptivo, além de uma história bastante rica e emocionante.

Uma das possibilidade de roteiro na África é viajar de carro pela costa. Por isso, neste post vou contar tudo sobre a Garden Route (Rota Jardim). Essa é a mais famosa e a que eu escolhi fazer, mas existem outras rotas superinteressantes Rota Panorama, Rota 62 e a Sani Pass.

+ Como montar um roteiro pela África do Sul (mastigadinho)
++ Melhor época para viajar para a África do Sul
+++ O que fazer em Cape Town

Não deixe de seguir o Instagram @stheontheroad para  ver todas as fotos das minhas viagens em tempo real ou procure pela Tag #sthenaAfrica

Marquei no mapa abaixo todos os pontos que vão ser mencionados. Azul são cidades oficiais da Garden Route, Roxo a extensão da viagem e amarelo os santuários de animais. Se você quiser usar meu mapa, basta clicar na estrelinha para favoritar e aparecer no seu Google Maps.

O que é a Garden Route?

A Garden Route é um trajeto na costa da África do Sul (rodovia N2). Oficialmente, vai da cidade de Mossel Bay até Storms River, mas só esse trecho não encaixa muito bem nos roteiros de viagem. Por isso, é comum estender essa viagem da Cidade do Cabo até Port Elizabeth (ou o contrário), que são as duas que têm aeroportos.

A rota oficial tem pouco mais de 200km, mas fazendo a extensão são, no mínimo 850km. A rota tem esse nome porque é uma região de vegetação abundante o ano todo, já que o clima oceânico possui verões e invernos amenos com chuvas.

Para dar certo, é imprescindível ter internet no celular usando Google Maps. Você pode adquirir o chip da EasySim4u ou do ChipdeViagem, nossos parceiros com desconto, e já sair do Brasil com internet ilimitada. Ou comprar um chip local assim que chegar no destino!

roteiro garden route

Quantos dias preciso para fazer a Garden Route?

Pelo menos 4 dias, mas eu acho 5 o tempo ideal, porque fica mais confortável. Se tem uma coisa que eu me arrependo na vida foi ter feito essa rota em 3 dias. Até deu pra fazer, mas ficou muito corrido e não pude parar em alguns lugares que gostaria. E quem opta por fazer um safári nessa região precisa de mais tempo, mas eu só recomendo se você realmente não puder ir ao Kruger Park.

O que tem na Garden Route?

Essa roadtrip pela costa sul da África é espetacular, não tenha dúvidas. É uma viagem para quem gosta de natureza, pois o que tem são paisagens, santuários de animais, reservas naturais, bungee jump e outras maravilhas na Garden Route!

Mas tudo depende do interesse de cada um. Por isso, vou mostrar ponto a ponto da Garden Route, para que você decida quais são as paradas essenciais e onde acha melhor dormir (levando em conta uns pitacos meus, rs).

garden route africa do sul

Antes da Garden Route

# Hermanus

Hermanus é o melhor local terrestre do mundo para observar baleias, além de ser um bom destino para relaxar e curtir a cidade. Dá para ver as gigantes através de trilhas pela costa e por passeios de barco entre os meses de junho e novembro, sendo que em outubro é o auge. Eu fui em Novembro e não vi baleia, mas me apaixonei pela cidade.

Além disso, há uma reserva natural bem bonita cheia de trilhas, com umas escadarias fantásticas à beira-mar. A cidade tem um centro comercial super charmoso com bons restaurantes, livrarias e lojinhas.

Onde se hospedar: eu fiquei no Hermanus Boutique Guest House e recomendo muito. É um hotel charmosérrimo, com decoração de bom gosto e um café da manhã dos deuses. Uma opção mais barata que também é ótima é o Windsor.

hermanus africa do sul

# Agulhas

O Cabo das Agulhas é o ponto ponto divide o Oceano Atlântico do Oceano Índico. Só isso e nada mais! Para se chegar na região, tem que sair da rota principal e andar 100 km em direção ao litoral. A estrada é relativamente boa, mas não recomendo para quem tem poucos dias na Garden Route.

Onde se hospedar: Agulhas Ocean House

agulhas, africa do sul

Cidades Oficiais da Garden Route

# Mossel Bay

A primeira cidade oficial da Garden Route é Mossel Bay, famosa por oferecer mergulhos com tubarões brancos. Apesar de ser um passeio relativamente seguro e com profissionais responsáveis, eu não gosto da ideia, então preferi não fazer. Achei Mossel Bay muuuuito sem gracinha, de verdade, mas está no caminho e vale a parada.

Para quem gosta de história, existe um museu em homenagem ao navegador Bartolomeu Dias. Ele é famoso por ter sido o primeiro europeu a ir ao Oriente contornando o sul da África (aula de história pura!).

Onde se hospedar: Santos Express (baratex e interessante, são antigos vagões de trem), Diaz Strand (gracinha) e Aquamarine

# Knysna

Knysna é suuuuper charmosa! Assim como Mossel Bay, tem passeios de barco para visualizar baleias, golfinhos e toda a vida marinha do local. Além disso, existem trilhas com paisagens maravilhosas.

O ponto mais famoso são as Knysna Heads, cadeias montanhosas na beira do mar que formam uma lagoa entre os penhascos e quando o sol bate na água fica uma paisagem deslumbrante, principalmente no pôr-do-sol.

A cidade em si é bem bonitinha e tem uma marinha (waterfront) tipo o de Cape Town, com várias lojas, ótimos restaurantes e barcos ancorados.

knysna africa
vibe da nossa varandinha

Apesar desse monte de coisa legal que eu citei, confesso que eu não fiz quase nada em Knysna, porque quando eu me deparei com o pôr do sol na varanda da nossa cabana, tive um sentimento de estar em casa, sabe? Tinha uma churrasqueira lá do lado de fora, aí compramos carne e cerveja num mercado pertinho. Foi assim que decidi gastar meu tempo lá e eu não me arrependo.

No outro dia de manhã conheci o waterfront, tomei um café delicinha e comprei umas lembranças antes de seguir viagem.

Onde se hospedar: Abalone Lodges (foi barato e fui muito feliz lá. Não tem café, nem serviços e tal, mas cada chalé dispõe de churrasqueira, geladeira e todos utensílios de cozinha necessários). Também achei legais o Hotel Claude e o Simola Hotel Country Club & Spa .

onde ficarem knysna
Tem como não amar?

# Plettenberg Bay

Plettenberg Bay fica no meio da Garden Route. A cidade em si é pequenininha com praias tranquilas e bonitas, mas está muito próximo de alguns dos lugares mais bonitos e procurados da África do Sul. Por isso, você pode utilizar “Plett” como base para visitar os principais locais da cidade vizinha e também para conhecer as demais atrações da região, se preferir.

Onde se hospedar:  Villa Villekula (fora do centrinho, mas barato e incrível),
Emily Moon River Lodge (muito elegante), The Bungalow (super charmoso).

foto: Villa Villekula

# Nature’s Valley

Bem pertinho de Plettenberg Bay e do Tsitsikamma National Park, o Nature’s Valley é um ótimo destino pra quem busca um pouco de tranquilidade e inspiração no meio da jornada pela Garden Route.

O vale é bem pacato e não possui nenhum centro comercial, os visitantes buscam fazer algumas trilhas pela natureza e admirar a famosa lagoa que se forma na foz do Groot River. Enfim, é uma ótima opção próximo do bungee jump na Bloukrans Bridge.

# Bloukrans Bridge

Essa ponte sobre o rio Bloukrans é famosa por ter sido durante muitos ano maior Bungee Jump do mundo, com 216 metros de altura. Tem um Bungee Jump mais alto em Macau agora, mas de ponte esse ainda é o soberano.

A ponte por si só já é uma atração, mas a empresa Face Adrenalin conseguiu criar uma experiência única e tornar esse ponto um dos mais visitados da África do Sul

O salto é realizado debaixo da pista de carros da ponte. Se você não souber disso, passa na ponte e nem percebe que tem aquilo ali. É necessário agendar no site. Passa a imagem para o lado para ver o vídeo:

O caminho para o salto já é uma aventura porque o acesso é por uma rede suspensa. Não precisa ficar preocupado, porque a equipe do local é muito bem preparada e segurança é a palavra-chave da empresa (parece que nunca teve acidente).

Meu noivo saltou… e amou! Uma essa experiência fantástica para os corajosos, mas eu… preferi olhar de longe tomando minha cerveja!

bungee jump africa do sul

# Tsitsikamma National Park/Storms River

Storms River é um lugarejo bem pequenininho. Só parei lá para almoçar antes de entrar no Tsitsikamma, mas ao restaurante foi um achadinho que preciso compartilhar. É um bistrô lindo e pequeno chamado Tsitrus Café. As pizzas saíam muito, mas preferi pedir uma comida e estava ótimo!

restaurante na Garden Route

O Tsitsikamma é uma reserva natural no litoral com cabanas à beira mar, trilhas maravilhosas e as famosas três pontes suspensas na foz do Storms River (Storms River Mouth). O Maps não me jogou para a entrada certa do parque, foi mais confiável seguir as placas.

Reserve pelo menos meio dia para essa parada valer a pena. É possível ficar horas no parque apenas admirando a paisagem, algumas trilhas ou passeios de caiaque ao longo do rio. Tem que pagar uma taxa de conservação para entrar no parque, que eu achei muito cara, por sinal, mas valeu a pena.

Onde se hospedar: The Fernery Lodge & Chalets (olha a vista desse chalé que perfeição), Fynbos Golf and Country Estate (precinho camarada) ou
dentro do Parque (reservas só no site deles).

tsitsikamma national park
Essas pontes são uma coisa linda!

SEGURO VIAGEM COM 10% DE DESCONTO 
Nunca viaje sem seguro! Aqui no blog recomendamos a SEGUROSPROMO, melhor comparadora de seguros do mercado. Comprando aqui você ganha 5% de desconto usando o cupom STHEONTHEROAD05 + 5% pagando no boleto.

# Jeffreys Bay

Jeffreys Bay é a cidade do surf da África do Sul por fazer parte do circuito do campeonato mundial (World Surf League – WSL). Foi em J-Bay que ocorreu aquela cena em que o surfista Mick Fanning foi agraciado com a presença de um tubarão ao seu lado.

A cidade vive e respira o surf. Existem lojas de todas as marcas especializadas: Billabong, Roxy, Quicksilver, Oakley, Rusty, Normaii, Hurley, entre outras. Além disso, todos os restaurantes, bares e lanchonetes são decoradas com o tema, destacando o Nina’s que sempre é frequentado por surfistas profissionais e possui um ótimo e variado cardápio.

Nem preciso dizer que a praia é outra atração imperdível, pois além de bonita é possível ver os surfistas locais nas ondas mais famosas da África.

Onde se hospedar: Island Vibe é um hostel bem famoso por lá, que também tem quarto privativo. Cristal Cove também é interessante, mas eu curti a vibe do Dolphin Sunrise.

Quarto Deluxe do Dolphin Sunrise

# Port Elizabeth

O último destino da Garden Route nesse sentido é Port Elizabeth. Eu não sabia antes de ir, mas é uma das maiores da África do Sul, com aproximadamente 300 mil habitantes.

Foi uma das sedes da Copa do Mundo de 2010, por isso tem um belíssimo estádio de futebol, o Nelson Mandela Bay Stadium. Além disso, a praia de Summerstrand é o local mais badalado da cidade, onde há um píer chamado Shark Rock e o Boardwalk Hotel & Cassino.

Acho que, pra quem veio de Cape Town, Port Elizabeth não tem muita graça, fiquei uma noite apenas para pegar o voo na manhã seguinte.

Estando em Port Elizabeth, dá para fazer safáris em algumas reservas: Addo Elephant National Park e no Schotia Safaris, onde moram famílias enormes de elefantes, zebras, viados, búfalos e até mesmo rinocerontes, leões, girafas e hipopótamos.

port elizabeth dicas

Santuários de animais

Perto de Plettenberg Bay existem alguns santuários de animais selvagens que foram resgatados, estão sendo recuperados e alguns até retornam para a natureza. Mesmo quem fizer safáris vai gostar desses santuários para ter uma experiência mais próxima, porque são coisas diferentes.

Jukani Wildlife Sanctuary

A missão do local é manter e administrar um santuário de vida selvagem sustentável. O santuário cuida de leões, panteras, tigres, onças, guepardos, pumas, cachorros do mato, entre outros animais.

Elephant Sanctuary

O santuário de elefantes também tem o mesmo propósito em criar uma relação de intimidade, respeito e admiração com esses animais espetaculares. Os visitantes podem ter experiências incríveis com os elefantes, ao ponto de fazer carinho e alimentá-los.

Monkeyland

É o primeiro santuário de primatas de diferentes espécies cuja missão é educar e fomentar a compreensão dos primatas e das ameaças que eles enfrentam.

Birds of Eden: o maior domo do mundo com uma floresta simulada e abrigando 3500 aves de 220 espécies diferentes.

Lawnwood Snake Sanctuary: destinado aos répteis mais interessantes do mundo, o santuário oferece experiências únicas e exposições ao ar livre de cobras, lagartos e crocodilos.

Foto: https://www.plettenbergbay.elephantsanctuary.co.za/

Meu roteiro na Garden Route

Eu saí de Cape Town mais tarde que deveria e dormi a primeira noite em Hermanus. Estava num hotel tão legal que não consegui acordar cedo e sair correndo. Preferi curti um pouco da cidade, que é uma delícia. De lá passei em Mossel Bay e segui viagem para Knysna, onde resolvi dormir.

roteiro garden route

No outro dia seguimos para a Bloukrans Bridge, onde meu noivo fez o salto. E de lá fomos ao Tsitsikama, que fica bem pertinho, para fazer uma trilha. Por fim, tocamos até Port Elizabeth e dormimos lá para pegar o voo para Joanesburgo.

Esse último dia foi muita correria, se eu tivesse mais um dia teria ficado ótimo. Ficaríamos com calma em Storms River e no outro dia faríamos Jeffrey Bay e Port Elizabeth.

Hospedagem na Garden Route

Não fiz reservas de hotéis com antecedência, porque queria sentir as cidades na hora para decidir se parava ou seguia viagem em cada (foi a primeira vez na vida que arrisquei um roteiro tão livre).

Ônus e bônus

Por esse lado, foi realmente ótimo decidir algumas coisas durante a viagem. Também consegui aproveitar algumas promoções de última hora do Booking. Mas passei um sufoco: quando cheguei Hermanus, quase todos os hotéis estavam lotados eu não tinha onde dormir. Era tarde para seguir e acabei pagando bem caro na diária do único hotel que estava disponível (ótimo, por sinal).

De toda forma, valeu a pena fazer assim, porque teve muita cidade que me recomendaram e eu não achei nada demais (como Mossel Bay). E outras que ninguém falava muito e ganharam meu coração (como Knysna). Ou seja, você pode pegar mil dicas, mas a sua viagem será sempre somente sua. Coloquei indicação de hotéis em cada cidade que citei acima.

onde ficar em hermanus

Algumas distâncias entre as cidades:

  • Cape Town a Mossel Bay: 384km (4h)
  • Mossel Bay a Knysna: 105km (1h 15m)
  • Knysna a Plettenberg Bay: 32km (27m)
  • Plettenberg Bay ao Tsitsikamma: 63 km (45m)
  • Tsitsikamma a Jeffrey´s Bay: 112 km (1h)
  • Jeffrey´s Bay até Port Elizabeth – 78 km (53m)
roteiro garden route

Como eu faria com 3, 4, 5 ou 6 dias:

3 dias na Garden Route: não recomendo, fica muito corrido!

4 dias na Garden Route: 1 noite em Hermanus ou Mossel Bay, 1 noite em Knysna, 1 noite nos arredores do Tsitsikamma e a última em Jeffrey´s Bay ou Port Elizabeth (depende do horário do voo)

5 dias na Garden Route: o mesmo roteiro de 4 dias, mas com 2 noites nos arredores do Tsitsikamma.

6 dias na Garden Route: o mesmo roteiro de 4 dias, mas com 2 noites em Kysna e 2 nos arredores do Tsitsikamma.

garden route na africa

Como alugar carro na África do Sul

É essencial alugar um carro para fazer a viagem pela Garden Route, pois com o veículo próprio você tem a experiência completa e pode fazer o roteiro no seu ritmo e ir descobrindo cada cantinho da rota.

Para alugar carro na África do Sul não precisa de PID (Permissão Internacional para Dirigir), mas você pode tirar se for se sentir mais seguro. Além disso, eu sempre uso e recomendo a RentalCars, porque costuma ter os melhores preços, mas a cobrança deles é à vista e em dólar. Se você quiser pagar parcelado e em real, pode reservar pela Rent Cars, que é brasileira e não cobra IOF!

Não se esqueça que a direção é invertida, ou seja, o volante fica na parte direita do carro, assim como na Inglaterra. Isso assusta muitos viajantes que têm medo de dirigir na mão inglesa, mas logo logo você acostuma e passa a ser até divertido.

É possível alugar o carro na Cidade do Cabo e devolver em Port Elizabeth, assim você não precisa fazer o caminho de volta e pode seguir viagem do aeroporto local!

Leia mais sobre a África

 RESOLVA SUA VIAGEM AQUI NO BLOG

Pesquise Hotéis no Booking Seguro Viagem com menor preço 

Saia do Brasil com Chip 4G Compre ingresso online em até 6x

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    África do Sul: como planejar sua viagem (roteiro mastigadinho)
    junho 6, 2019 at 8:42 pm

    […] Garden Route: guia infalível pela costa da África do Sul […]

  • Reply
    Qual moeda levar para a África do Sul? Rand, Real ou Dólar?
    julho 26, 2019 at 6:03 pm

    […] Guia completo da Garden Route […]

  • Vamos trocar uma ideia? Comente!

    %d blogueiros gostam disto: