ÁFRICA ÁFRICA DO SUL SAFÁRI

Safári no Kruger Park: o guia definitivo que você estava esperando

safári no kruger park

Se você está sonhando com um safári no Kruger Park, mas acha que é muito complicado organizar essa viagem, saiba que caiu no lugar certo.

Na hora do planejamento surgem as seguintes questões: Por onde começo? Preciso de um agente de viagens? Como chegar ao Kruger Park? Devo me hospedar dentro ou fora do parque? É seguro fazer self-drive? Vendo um rim para ficar num lodge de luxo ou tem jeito de não gastar muito? Qual é a época boa?

Normal ter todas essas dúvidas. Pensando nisso, elaborei este guia com dicas que vão ajudar bastante, principalmente se esta for a sua primeira vez no Kruger Park. É uma viagem fora do comum e que a gente espera que seja perfeita. Vai ser, confia em mim, pois estou aqui justamente para te ajudar a realizar esse sonho.

Não deixe de seguir o Instagram @stheontheroad para ver todas as fotos das minhas viagens em tempo real ou procure pela Tag #sthenaAfrica

Dá para viajar por conta própria?

Pode não parecer, mas é super tranquilo viajar por conta própria. Seguindo as minhas dicas você vai ter condições de reservar tudo sem uma agência de viagens. E, se ainda tiver dúvidas, é só deixar nos comentários.

Se a sua ideia é ficar numa reserva privada, sua única preocupação é escolher o hotel e chegar até ele, pois todo o restante estará incluído (alimentação e safáris). Leia a minha incrível experiência no lodge de luxo The River at Thornybush.

Para conhecer o Parque Nacional, você precisa lidar com mais detalhes. São essas as dicas que vou te passar agora!


Onde fica o Kruger Park?

O Kruger Park fica na África do Sul e é considerado um dos melhores lugares do mundo para safáris. O parque ocupa uma área de quase dois milhões de hectares (é realmente gigante). O Kruger faz divisa com Moçambique e fica a 420 km de Joanesburgo e a 1.840 km da Cidade do Cabo.

onde fica o kruger park

Qual é a diferença entre Parque Nacional e Reserva Privada?

Existe o Kruger e o Great Kruger. O Kruger é o Parque Nacional, e o Great Kruger, além de uma parte do parque nacional, inclui as reservas privadas. Eles não possuem cercas entre si, então os animais tem livre trânsito. Essa delimitação é para os seres humanos.

São propostas completamente diferentes, mas igualmente interessantes.

A principal diferença é que no Kruger National Park há rotas demarcadas e é proibido sair da estrada. Então, você vai ver os bichos da estrada e torcer que eles se aproximem de você. Além disso, a maioria das estradas do parque é asfaltada e movimentada. Por outro lado, é só no parque que você pode dirigir seu próprio carro (self-drive). Vou falar mais sobre isso em outro tópico.

safari no Kruger

Já nas Reservas Privadas, os carros são aqueles abertos e podem circular com mais liberdade. Chegam a uma proximidade inimaginável dos animais (desde que eles não demonstrem estar incomodados), o que dá uma emoção indescritível ao safári. É nas reservas privadas que está a maioria dos lodges de luxo e onde são feitos passeios com guias experts que encontram o máximo de animais possíveis para você. É uma experiência exclusiva, porque você só pode circular numa reserva privada se for hóspede.

safari africa do sul hotel
Esse tipo de safari só existe em áreas permitidas

O divisor de águas é o preço!

Você pode estar se perguntando: “vou ficar decepcionado se não viver a experiência vip?” Não! O primeiro safári que eu fiz foi no Parque Nacional e eu saí de lá feliz pra demais. Claro que ficar numa reserva privada é uma experiência para levar para o resto da vida, mas pode não caber no seu orçamento, ou até mesmo não ser o seu perfil. Já um safári no Parque Nacional é muito mais barato que parece!


Como são os safáris no Kruger Park?

Há duas maneiras de explorar o Kruger Park: fazendo um self-drive, no qual você mesmo dirige o carro que alugou, ou fazendo um game drive guiado em veículos oficiais do Kruger Park.

safari no kruger park
safari no kruger park

+ Como funciona um self-drive

Você aluga um carro, paga a taxa e entra no parque dirigindo. Simples assim! Rs

Está chocado? Eu também fiquei, mas realmente não tem mistério algum. Claro que há várias regrinhas a serem seguidas, como por exemplo, só poder descer do carro nas áreas permitidas e respeitar o limite de 50km/h, mas é bem tranquilo.

kruger park
self drive kruger park
primeiro elefantinho que vi no Kruger

+ Dicas para um self-drive bem sucedido

Os melhores horários para ver animais são no amanhecer e no entardecer. Como o parque é muito grande (mesmo!), você precisa traçar uma rota para saber até onde ir e depois voltar. Tudo isso vai depender de onde você está hospedado. Confira a tabela completa com as distâncias e tempo de deslocamento entre os portões e camps do Kruger Park.

Parece difícil de entender, mas na hora não é. Na portão de entrada vende um mapinha, há muita sinalização pelas vias e o celular também funciona na maior parte do tempo dentro do parque (se você estiver usando um chip internacional).

Por exemplo, no primeiro dia, nós entramos pelo Portão Crocodile Bridge, fomos até Lower Sabie indo pela H4-2, seguimos até Skukuza pela H4-1 e depois voltamos por outro caminho. A gente se empolgou… levou umas 7 horas entre ida e volta. Não precisa isso tudo! No segundo dia, entramos por Crocodile Bridge, passamos por Skukuza e saímos pelo portão Orpen, porque estávamos indo para outro lodge que ficava lá em cima.

kruger park safari

Onde fazer paradas

Como você não pode descer do carro no meio do parque, sempre vale a pena parar nos rest camps (pontos de apoio) para esticar as pernas, comer e olhar o Sighting Board, que é o painel onde as pessoas marcam os animais que viram e a região. Aliás, os rest camps são realmente fantásticos, alguns mais equipados que outros, mas todos oferecem alimentação, banheiros, lojinha de souvenir e suprimentos.

kruger park rest camps
dicas kruger park
As pessoas dividem as informações para se ajudarem

Há uma enorme sinergia em self-drive. Várias vezes fomos parados por pessoas nos dando (ou perguntando) a localizaçãodo leão, do leopardo e do cachorro do mato que são os animais mais difíceis de serem vistos (a gente não achou os dois últimos).

Não se esqueça: quem está hospedado do lado de fora, tem quer sair do parque até 18h, senão leva uma multa MUITO alta.

DICA: Na África do Sul é mão inglesa, mas não há motivo para pânico. O importante é alugar um carro automático para não ter que passar marcha com a mão esquerda. Para o aluguel, eu uso e recomendo a Rental Cars.

kruger park como ir
Babuínos atravessando. A casa é deles, nós somos visita.

+ Como funciona o passeio em veículos do parque

Se você preferir, pode contratar um passeio guiado, tanto dentro do Kruger, quanto nas cidades vizinhas, dependendo de onde estiver hospedado.

Eles duram em torno de 3 horas e tem três horários de saída: bem cedo, no fim do dia e também noturno (o último só para quem está dentro do Kruger). São aqueles carros típicos de safári, mas com cobertura. Assim como no self-drive, os carros não podem sair das estradas, mas a vantagem é ter um guia que vai encontrar os animais com mais facilidade. Além do custo do game drive, há o pagamento taxa de preservação SANPark (372 rands).

Como eu ia para uma reserva privada depois do Kruger, não tive essa experiência para dividir com vocês, mas acho que vale a pena! Se ficasse só no parque nacional teria feito com certeza.

kruger park tour
Esses são os carros do tour

Que animais eu posso ver no Kruger Park?

São mais de 140 espécies de mamíferos. Os protagonistas são os Big Five, que são os cinco mamíferos selvagens mais difíceis de serem caçados pelo homem:  leão, elefante africano, búfalo, leopardo e rinoceronte. Fora isso, o Kruger é o lar de muuuuuitos animais. Eu vi girafas, zebras, búfalos, crocodilos, rinocerontes, hienas, javalis, elefantes, antílopes, babuínos, hipopótamos, aves, etc.

safari kruger park
Os elefantes são a coisa mais linda

Em self-drive, não dei a sorte de topar com nenhum leopardo, nem rinoceronte, mas acredito que teria visto num passeio guiado (depois eu os vi na reserva privada).

A observação de animais selvagens no seu habitat natural é uma coisa muito emocionante, muito linda, mas que requer paciência. Às vezes a gente anda um tempão e não vê nadica de nada. Às vezes você olha pro lado e passa uma manada. Muito da graça está nessa imprevisibilidade!

kruger park
ORei! Não é fácil enxergar o leão na savana se ele não estiver bem perto.

Onde ficar no Kruger: dentro ou fora do parque?

Essa foi uma das minhas maiores dúvidas quando estava planejando a viagem. As opções são: se hospedar nos camps dentro do Kruger ou em algum lodge/hotel em cidades vizinhas (entrando e saindo todo dia do parque). Além de, claro, ficar num lodge de luxo all inclusive em reservas, como contei lá em cima.

Quando visitei o Parque Nacional, eu me hospedei do lado de fora, já que não havia disponibilidade nos alojamentos do SanParks. Num primeiro momento, tive medo de perder muita coisa por não estar dentro do parque, mas isso não aconteceu. Foi fantástico!

Vou fazer um outro post só com dicas de hospedagens dentro e fora do Kruger, porque não cabe tudo aqui!

Hospedagem dentro do Kruger:

Há vários tipos de alojamentos distribuídos pelos quase 20 mil km² do parque. Você escolhe um tipo de hospedagem num dos Main Rest Camps (tem bangalô, camping e até espaço para motorhome). A única maneira de fazer essa reserva é no próprio site dos parques nacionais. E é um site ruinzinho pra caramba de entender e navegar.

Skukuza Bungalow (BD3) | Foto: SanPark
rest camp skukuza
Foto: Sanparks

Main Rest Camps são áreas cercadas dentro do parque. Cada uma tem um nível de estrutura, mas todas contam com pelo menos banheiro e algum tipo de restaurante ou lanchonete. Alguns são verdadeiras cidadezinhas, com lojas, cafeteria e até posto de gasolina. Um dos mais famosos e disputados é o Skukuza, mas eu também simpatizei com o Lower Sabie.
Não acho caro: um “Bungalow” no Skukuza sai a R$326 o casal, mais a taxa de preservação do parque por cada dia (cerca de R$97,00 por pessoa).

A grande vantagem de ficar hospedado dentro do parque é poder fazer os safáris fora dos horários de abertura do parque ao público (que é o melhor horário). O sunrise drive começa antes dos portões abrirem e o sunset drive termina após os portões fecharem. Cada Main Rest Camp tem os seus game drives e você pode contratar na hora ou fazer o self-drive.

kruger onde ficaar
Parte da área comum do Skukuza

Hospedagem fora do Kruger:

Há hotéis muito próximos aos portões do Kruger e também em cidades vizinhas. Para quem quer economizar é o melhor custo-benefício. Além disso, tem a facilidade de fazer reserva pelo Booking.

As cidades do entorno são: Hoedspruit, Hazyview, Malelane, White River, Nelspruit e Komatipoort. Toda essa região é recheada de pousadas, hotéis e lodges, uma mais lindo que o outro.

regiões kruger park

Vindo de Joanesburgo, Hazyview é a cidade mais próxima e fica há 10 minutos de algumas entradas do parque. Neilspruit é a cidade com maior estrutura, aeroporto, ótimos restaurantes, shoppings e outras opções de turismo, mas fica mais longe, por volta de 40 a 50 minutos do parque (todo dia, ida e volta eu acho muito tempo).

Eu fiquei hospedada no Lodge Crocodile Bridge, em Komatipoort, e amei a minha escolha. Primeiro, porque teve um ótimo custo-benefício (foi R$330 diária/casal). Segundo que eu estava louca para ficar numa tenda militar dessas. Por fim, porque tem uma estrutura muito boa e é co-la-do num portão do Kruger (menos de 5 minutos).

Quando fiz a reserva recebi um e-mail super detalhado me explicando a logística do Lodge. O melhor caminho, onde parar para comprar comida e como funcionava o churrasco coletivo que eles proporcionam à noite para interação dos hóspedes (eles dão o acompanhamento e cada hóspede leva sua carne – não é comum compartilhar).

Sem falar que os donos do lodge são fantásticos e me deram várias dicas na hora. Olha esse pôr do sol com elefantes da área varanda, de frente para o rio:

kruger park onde ficar
Área comum do Crocodile Bridge Lodge
kruger onde ficar

Qual a melhor época para safari no Kruger?

Não há época ruim para fazer safári no Parque Nacional Kruger. São apenas experiências diferentes no verão e no inverno, já que o parque muda de mês para mês. De modo geral, dá para dizer que fazer safári é bom o ano todo. No verão (considerando de outubro a abril) a parte boa é o nascimento dos filhotes. A ruim é o risco de chuva e forte calor. No inverno
(maio a agosto) a parte boa é que a visibilidade fica melhor por conta da seca, mas faz bastante frio à noite.

Eu estive no Kruger em Novembro. Achei muito legal poder ver os animais com seus filhotes. Passei 4 dias, 2 de muito sol e calor e dois de tempo nublado com chuva eventual.

kruger park dicas
Hipopótamos submersos

Quantos dias ficar no Kruger?

Essa é uma decisão muito pessoal. A maioria das pessoas fica duas noites e acha ok, mas eu sugiro três. Desse modo, dá para descansar da viagem, relaxar um pouco dos game drives, além de curtir o hotel, a natureza e os rest camps. Eu fiquei quatro noites (duas no parque nacional e duas em reserva privada).

kruger park dicas

Qual a melhor região do Kruger?

Dizem que ficando ao sul do parque aumenta a chance de ver animais. Eu acho que isso pode variar um pouco conforme a época do ano, mas uma coisa é certa: onde tem rio tem bicho! Ainda mais se tiver na época da seca e fazendo muito calor. Eu fui em dezembro e a região onde vi a maior quantidade de animais foi a Lower Sabie.

melhor epoca africa do sul

Quanto custa um safári no Kruger Park?

Para entrar no parque é cobrada uma taxa de conservação de 372 rands por adulto (cerca de R$97,00). Em um self-drive, você só paga isso e alimentação. Os safáris que são organizados pelo parque custam cerca de 300 rands por adulto (R$ 79,00), mais a taxa do parque (R$97). Cada Rest Camp tem seu próprio valor, porque são passeios e rotas diferentes, mas a média é essa.

O valor dos alojamentos varia, mas no Skukuza que é um dos mais disputados, um bangalô custa R$ 326 por noite, sem café da manhã, para dois adultos. O lodge que eu fiquei, Crocodile Bridge, foi R$ 330 por noite o casal (também sem alimentação).

Custos de viagem são muito pessoais, mas eu gosto de dar uma noção total a vocês, porque sei que isso ajuda muito. Esses valores representam a NOSSA viagem de 3 dias (duas noites) em casal. Dá para considerar um valor menor na alimentação, porque nós compramos comida em excesso e tivemos até que doar para os outros. O voo também nos serviu a uma viagem de 13 dias, e não só essa parte.

quanto custa safari

Como chegar no Kruger Park?

A maneira mais fácil de chegar ao Kruger é voar do Brasil para Joanesburgo. De lá, você tem três opções: pode pegar um voo interno para um dos aeroportos no entorno do Kruger, seguir viagem em carro alugado ou contratar um transfer. Apesar de ficar mais distante, de Cape Town ao Kruger também há voos disponíveis.

De avião:

Os aeroportos nas mediações do parque são Nelspruit (ao sul), Hoedspruit (no centro) e Skukuza (ao sul). Os voos são bem rápidos e operados pelas cia aéreas AirLink, South African e CemAir. Contudo, antes de comprar a passagem, é melhor pensar bem no hotel onde se hospedar e tentar encaixar o aeroporto mais próximo.

foto: flyairlink.com

De carro:

Optei por ir de carro, por vários motivos. Primeiramente, meu medo não me permite voar nesses micro aviões. Além disso, eu fiz dois tipos de safáris em regiões distintas do parque e precisava me descolar entre eles. Por fim, queria fazer self safari e precisava do carro para isso.

de carro kruger

Do aeroporto da capital até o nosso primeiro destino (Crocodile Bridge) foram aproximadamente 5 horas. A estrada é ótima e bem sinalizada. É importante respeite o limite de velocidade, pois os policiais da região são corruptos e vão te arrancar uma grana caso te peguem dirigindo acima do permitido (aconteceu conosco).

Quem opta por ir de carro ainda pode ter o privilégio de passar pela Panoramic Route, que é uma estrada com uma vista MARAVILHOSA!!!

kruger como ir

E a pergunta que não quer calar…

É seguro fazer safári?

No geral, os animais não dão bola pra gente. Seguindo as orientações, não há grandes riscos para o turista. Se você estiver num passeio guiado, o ranger cuida dessa parte. Se você estiver num self-drive, é só ter cautela ao abrir janelas, não descer do carro em locais não permitidos ou tentar interagir com os animais.

é seguro fazer safári

Não esqueça do Seguro Saúde

Seguro saúde é aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas tem que ter. A África do Sul requer uma atenção especial nesse quesito, já que brasileiros não tem direito à atendimento médico gratuito e qualquer imprevisto terá de ser tratado de forma particular. Além disso, você está indo encarar uma aventura, certo? Viaje prevenido!

A melhor dica para contratar o seguro viagem é usar um comparador online, como a Seguros Promo, que lista o preços de vários seguros e ainda aceita pagamento parcelado. Quando eu fui, fiz o plano AT 40 da Assist Trip, que me garantia uma cobertura médica/hospitalar de até 40 mil dólares (faça a cotação abaixo).

SEGURO VIAGEM COM 10% DE DESCONTO 
Nunca viaje sem seguro! Aqui no blog recomendamos a SEGUROSPROMO, melhor comparadora de seguros do mercado. Comprando aqui você ganha 5% de desconto usando o cupom STHEONTHEROAD05 + 5% pagando no boleto.

Vacina de Febre Amarela

Para viajar para a África do Sul, é necessário tomar a dose completa da vacina contra febre amarela, por isso, não esqueça de de se vacinar e de providenciar a carteirinha internacional de vacinação com no mínimo 10 dias antes do embarque.

O que levar na mala pro Kruger

Roupas leves e confortáveis (de preferência em cores claras, para não atrair insetos), repelente, um casaco potente, muito protetor solar e remédios de uso básico. Nos pés, aposte em tênis (comum mesmo) ou uma botinha da sua preferência. Tudo bem informal!

Ficou alguma dúvida!? Deixe aqui nos comentários que te respondo jajá! 

LEIA MAIS POSTS SOBRE A ÁFRICA


RESOLVA SUA VIAGEM COMIGO

hotel no Booking

Pesquise Hotéis no Booking Seguro Viagem com menor preço Saia do Brasil com Chip 4G Compre ingresso online em até 6x

Fazendo sua reserva através dos links parceiros do blog eu ganho comissão e publico conteúdo gratuito. Você não paga a mais por isso!

You Might Also Like

18 Comments

  • Reply
    África do Sul: como planejar sua viagem (roteiro mastigadinho)
    fevereiro 15, 2019 at 1:52 pm

    […] Kruger Park […]

  • Reply
    EasySim4U: como foi usar o chip internacional na África do Sul
    fevereiro 27, 2019 at 6:59 pm

    […] onde não pegou. E olha que eu fiz um roteiro bem grande, passando por Cape Town, Garden Route e Safári no Kruger Park. Nem imaginei que fosse funcionar no safári, mas pegou […]

  • Reply
    Erik
    março 1, 2019 at 6:12 pm

    Post mais do que perfeito! Tudo bem explicadinho! Quando fui à África do Sul (país que amei), não deu para ir ao Kruger Park pois eu foquei em Cape Town e na Rota Jardim. Mas, quando retornar ao país, pretendo ir ao Kruger. Eu tinha varias duvidas, inclusive, de como seria, mas vc tirou todas com suas informações!

  • Reply
    Maiara Barbosa
    março 2, 2019 at 1:50 pm

    E eu que achava que era só chegar, botar umas roupas de safari, embarcar num carrinho de safari e sair por ai atrás dos animais! Amei a descrição e todas as informações do post!

  • Reply
    Mari Zoghbi
    março 4, 2019 at 4:12 am

    Gente! Que demais esse post! fiquei apaixonada! Eu nunca imaginei que desse para fazer por conta esse passeio! Fiquei impressionada e adorei as dicas.

  • Reply
    Andréa Azevedo
    março 6, 2019 at 2:09 am

    Olha, amei muito esse post!!! Mais detalhado, impossível! Acabei de mostrá-lo ao meu namorado e ele ficou todo empolgado!

  • Reply
    Silvia Carvalho
    março 6, 2019 at 4:18 pm

    Caramba! Sempre que leio um post sobre safari eu fico morrendo de vontade de fazer um! Pelo que você escreveu esse safari no Kruger Park me pareceu bem legal! Acho que eu ia ficar meio apavorada com esses animais todos por perto, principalmente se estivesse em um self drive! A adrenalina deve ser muito maneira!

  • Reply
    Tiago
    março 8, 2019 at 3:30 pm

    Vou confessar que estou apaixonado por esse post, muito completo! Favoritando ele para me planejar quando eu for, pois tem tempo que tenho olhado informações dos safaris mas é o primeiro que vejo com tudo em um só lugar 🙂

  • Reply
    Danielle
    março 9, 2019 at 12:29 am

    Que maneiro: selfie drive no Safari! Acho que ficaria com um friozinho na barriga logo no início. Dica super válida em alugar carro automático! Eu não sou muito adepta, mas nessas horas, é melhor do que se atrapalhar com a marcha na mão esquerda kkk… a sua viagem foi divina e cheia de dicas especiais! Amei!

  • Reply
    Igor Augusto
    março 10, 2019 at 9:46 pm

    Tenho uma paixão nada secreta pela África do Sul. País incrível. Mas só conheci a Cidade do Cabo. Na próxima volta, certamente iremos para Joanesburgo, e conheceremos o Kruger! Com suas dicas, tudo ficará mais fácil. Muito bom o post!

  • Reply
    Sil Mendes
    março 11, 2019 at 1:03 am

    Muito legal esse post, bem detalhado e cheio de dicas. Não tinha a menor ideia sobre as possibilidades de safáris na África e esse post certamente será útil quando planejarmos o nosso. A hospedagem dentro do parque parece realmente a melhor opção por conta dos horários diferenciados dos drives.

  • Reply
    Aline Laudelina Pires
    março 11, 2019 at 9:40 am

    Uau Sthefania, tenho lido bastante sobre a África do Sul pelo desejo de um dia fazer essa TRIP, mas nunca tinha lido um post tão completo sobre os Safaris, parabéns!!!! Vou compartilhar com amigos.

  • Reply
    O que fazer em Joanesburgo: dicas valiosas para quem só tem 1 ou 2 dias
    maio 14, 2019 at 7:02 pm

    […] à noite na cidade, vindo do Kruger Park. Aproveitei que estava próximo para jantar na Mandela Square, pois tem vários restaurantes e […]

  • Reply
    Garden Route: guia infalível pela costa da África do Sul
    maio 27, 2019 at 7:58 pm

    […] Pelo menos 4 dias, mas eu acho 5 o tempo ideal, porque fica mais confortável. Se tem uma coisa que eu me arrependo na vida foi ter feito essa rota em 3 dias. Até deu pra fazer, mas ficou muito corrido e não pude parar em alguns lugares que gostaria. E quem opta por fazer um safári nessa região precisa de mais tempo, mas eu só recomendo se você realmente não puder ir ao Kruger Park. […]

  • Reply
    Tania
    junho 11, 2019 at 10:34 pm

    Excelentes dicas!! Estava quase desanimando pois pesquisei bastante e sempre ficava com dúvida a respeito do safári no Kruger Park, achei que fosse “deixar meu rim lá” rsrsrs. Estou revendo meus planos agora. Obrigada.

    • Reply
      Sthefania Memelli
      junho 11, 2019 at 10:43 pm

      Hahahha se o guia te ajudou, estou no caminho certo aqui no blog! Fico super feliz em saber e espero que sua viagem seja incrível!

  • Reply
    Para onde viajar em julho: os melhores destinos do mês
    junho 14, 2019 at 9:00 am

    […] #4 Safari na África do Sul […]

  • Reply
    Carlos Cunha
    julho 2, 2019 at 10:32 pm

    Esse post me salvou. Não vou mais perder o rim nos lodges e vou poder tomar umas cervas na África!
    Me tira algumas dúvidas. Estava pensando em me hospedar no Rio Vista Lodge (fica a 10 km do portão do Kruger), mas estou na dúvida se me hospedo uma noite lá e uma dentro do kruger, ou 2 noites nesse. Eu queria muito fazer self, mas também, queira fazer o noturno! O que me recomenda?

  • Vamos trocar uma ideia? Comente!

    %d blogueiros gostam disto: